Capital Após corrupção

Governo do Rio pode desistir da conclusão de hospitais de campanha

A declaração foi dada pelo secretário de Saúde do estado, Fernando Ferry após o anúncio do adiamento das entregas.

23/05/2020 12h10 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação - Noticiário do Rio Fonte: Band News FM Rio
(Foto: Agência Brasil)
(Foto: Agência Brasil)

O secretário de Saúde do estado, Fernando Ferry, afirma que os hospitais de campanha que estão atrasados podem não ser entregues. 

Segundo ele, o atraso para a conclusão das obras e os números positivos da pandemia podem tornar as unidades desnecessárias.

Em conversa ao vivo com o vereador Felipe Michel pela internet, Fernando Ferry afirma que nos próximos dias haverá uma diminuição nos leitos de UTI.

Procurada, a pasta ainda não se pronunciou como ficarão os valores investidos pelo Estado. 

A entrega dos seis hospitais de campanha foi adiada, e a próxima inauguração seria em São Gonçalo, somente no dia 27 de maio. 

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, novos prazos foram estabelecidos para que a organização social Iabas conclua as obras.

O novo cronograma foi divulgado depois da manifestação do Tribunal de Contas do Estado sobre irregularidades nos contratos.

A Iabas também é responsável pelo hospital de campanha do Maracanã. Com 120 leitos de enfermaria e 80 de UTI, a unidade, inaugurada no início do mês, já sofre com a falta de recursos.

Na avaliação de Ferry, a curva na capital e nas regiões metropolitanas tem se mantido estável, o que afasta uma possibilidade de lockdown, aplicação de medidas mais restritivas de carros e pessoas. A expectativa de volta à normalidade poderia ser entre julho e agosto.

Fernando Ferry afirmou também que a regulação para transferência de pacientes deve ser agilizada, já que houve uma reunião entre estado e município para agilizar os atendimentos.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.